Terça, 03 Setembro 2019 18:14

OPERAÇÃO VERDE BRASIL | Em Manaus Onyx afirma que GLO deve continuar por mais um mês no combate à queimadas na Amazônia Destaque

Escrito por Rosi Martins

O governador Antonio Denarium participou de reunião em Manaus (AM) nesta terça-feira, 03, com os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e general Fernando Azevedo e Silva (Defesa). Em coletiva de imprensa realizada depois da reunião, Lorenzoni afirmou que GLO (Garantia da Lei e da Ordem) deve permanecer por mais um mês na Amazônia.

Um dos motivos é o combate às causas das queimadas, cujas principais são, de acordo com o ministro, o garimpo e o desmatamento ilegais.

“Uma das propostas que vamos levar da reunião com os nove governadores é que a GLO não se encerre no dia 24 de setembro, que ela continue seu trabalho pelo menos por mais um mês até o mês de outubro, porque tivemos um primeiro enfrentamento pontual nas áreas onde tivemos incêndios, mas é muito importante que se combata as causas que estão ligadas à questão do desmatamento e ao garimpo ilegais”, justificou.

Lorenzoni reafirmou que o Brasil é o país que mais protege suas florestas e que volta à Brasília com as propostas e em 10 dias pretende realizar uma nova reunião com os governadores.

O ministro ouviu as propostas dos governadores e falou sobre resolver a questão da regularização fundiária e do ZEE (Zoneamento Ecológico Econômico) na Amazônia, que são elementos fundamentais para o desenvolvimento sustentável dos Estados e uma das questões mais solicitadas pelos governadores.

Denarium frisou que o Governo de Roraima busca meios para fortalecer o trabalho preventivo de combate às queimadas, que começam a se intensificar nesse período em que as chuvas dão uma trégua no Estado.

EM RORAIMA - Os focos de queimadas em Roraima registrados de janeiro a abril deste ano foram 3.729. Os dados são do Boletim Hidroclimático, coletados por equipes da Femarh (Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos).

De maio a agosto, Roraima registrou o período de chuvas, reduzindo significativamente a quantidade de focos de queimadas, porém, com a chegada de setembro, as chuvas tendem a reduzir e de janeiro a abril os focos são mais intensos.