Quarta, 25 Janeiro 2023 19:19

AGRICULTURA FAMILIAR E INDÍGENA | Iater celebra primeiro de ano de existência com fortalecimento do setor produtivo de Roraima Destaque

Escrito por Naira Sousa
AGRICULTURA FAMILIAR E INDÍGENA | Iater celebra primeiro de ano de existência com fortalecimento do setor produtivo de Roraima Ascom/Iater

Hoje, dia 25 de janeiro, o Iater (Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural de Roraima), autarquia do Governo de Roraima criado pela Lei 1.642/22, completa o primeiro ano de existência com mais de 60 mil atendimentos na agricultura familiar e indígena em todo o Estado.

 

O Instituto foi implantado para suprir as necessidades de assistência técnica ao homem do campo, com objetivo de acompanhar desde o planejamento, análise de solo, até a comercialização dos alimentos produzidos no Estado.

 

Dentre as ações executadas pelo Iater estão o Projeto de Grãos, avicultura, piscicultura, suinocultura e melhoramento genético de rebanhos, além de ações voltadas ao setor produtivo local de mandioca, banana, caju, leite, café e cacau.

 

O governador Antonio Denarium ressaltou que o Iater galgou muitas conquistas para a agricultura familiar e indígena de Roraima. “O Iater foi criado na minha gestão com a missão de promover o desenvolvimento rural sustentável de Roraima. Mesmo com pouco tempo desde que foi criado, já deu muitos resultados na melhoria da qualidade de vida dos agricultores do nosso Estado, porque levou tecnologia, pesquisa e capacitação ao homem do campo”, declarou o governador.

 

Hoje são 28 unidades locais do Iater presentes em todos os municípios atendendo agricultores e empreendedores familiares rurais e indígenas. O presidente do órgão, Marcelo Pereira, destacou que o objetivo é implementar ainda mais os projetos já existentes e implantar novos polos no Estado.

 

“Ao longo do ano, o Governo de Roraima contribuiu de forma contundente no aumento da produtividade agrícola e na melhoria das condições de vida no meio rural e vai fazer muito mais nos próximos anos, principalmente na produção indígena, pelo trabalho em parceria com a SEI [Secretaria do Índio]”, disse.

 

Ele falou ainda da importância do trabalho nas comunidades indígenas. “Criamos

projetos e ações dentro das comunidades indígenas para potencializar a produção.

Por meio do Projeto de Grãos conseguimos, de 2021 a 2022, trabalhar cerca de 800

hectares de milho e feijão. O resultado disso foi trazer esperança para as comunidades no setor produtivo do estado”, destacou.

 

Após a colheita, o Iater dá todo apoio aos produtores no processo de comercialização e também orientando as cooperativas e associações. O Governo do Estado disponibiliza ainda máquinas, materiais, equipamentos agrícolas e caminhões, que garantem o deslocamento dos insumos até a lavoura.

 

PARCERIA

 

Durante o período de atuação, o Iater contou com apoio da Seadi (Secretaria de Agricultura, Desenvolvimento e Inovação), da SEI (Secretaria do Índio), da Aderr (Agência de Defesa Agropecuária), da Femarh (Fundação do Meio Ambiente e Recursos Hídricos), do Iteraima (Instituto de Terras e Colonização de Roraima) e da Codesaima (Companhia de Desenvolvimento de Roraima), além de contar com a colaboração de entidades parceiras, como o Basa (Banco da Amazônia S/A), da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), do Banco do Brasil, da Agência Desenvolve Roraima, cooperativas, associações e prefeituras.